Na lata do lixo

O que restou de nossos anseios de uma vida futura melhor?  De outro dia para cá, vimos um trabalhador trocando seu dedinho por uma aposentadoria, visando um sonho político.

Deu certo, apesar do longo e cansativo caminho, chegou lá. No topo. Muita gente acreditou.  Principalmente quando apresentou à sociedade via Embratel, seus Ministros como pessoas sérias e de honestidade imensuráveis.

Pouco tempo depois, aqueles homens dignos estavam envolvidos no mensalão. Alguns presos até hoje. Fato lamentável, que aquele trabalhador humilde, como acontece no mundo asiático, veio à TV pedir desculpas  aos brasileiros, com fala entrecortada, dizendo que foi traído.

Pois bem, terminou seu governo apoiando sindicatos, sem terras, sem casas, e sem não sei que mais lá, e se dizendo que matou a fome do brasileiro.

E nessa de “fome zero”, apresentou sua candidata de confiança e que seria a continuação de seu governo. E Eleita sua companheira de “luta”, foram nomeados amigos e correligionários, para todos os postos de comando social e político do Brasil.

O resultado disso tudo é que os brasileiros estão vivendo momentos de arrependimentos, ultrajados com tantas pessoas que antes íntegros e dignos, e de hora para outra, sujos e corruptos, inclusive alguns com pacote familiar. Lamentavelmente um bando de marginais reunidos em um só País.

Serviria essa analise para organizar e selecionar a escolha do eleitor para o candidato que tenha como ambição a melhoria do bem comum e o bem estar da comunidade? Esse questionamento parece difícil, mas não tanto, pois o eleitor sabe que sendo convencido pela boca de urna com algum trocadinho e ticket de almoço, serve para alguma coisa. Mas sabe que  está votando num canalha corrupto, pois são todos iguais e o jeito é pisar na jaca até o joelho.

Tem muitas pessoas que questionam: “em quem votar se todos são ladrões?”; “prometem muito e depois de eleitos, ficam com ‘amnésia’”. “todo dia a TV mostra a PF prendendo vários políticos e pessoas públicas envolvidas em falcatruas”. Imagine quando isso chegar na Bahia.

Nesse aspecto, os Itabunenses poderão avaliar os lançamentos de nomes de futuros candidatos a Prefeito e constatar que a maioria deles carregam nos ombros um arquivo de processos administrativos  e judicias, alguns já condenados a devolver o erário público. Outros, conhecidos de vários carnavais que já experiente do Executivo e que quase nada fizeram de relevante.  Tem até um que antes não tinha nem vale transporte e hoje imensurável patrimônio, e que quase perdeu nome, sendo mais conhecido, não só aqui, como em toda região do cacau, como “Vassoura de Bruxa”.

Entretanto, surge entre esses pretensos candidatos, um único que já está conhecido como politico que não aceita aliança partidária comprometida e nem apoio isolados com interesses lucrativos. É o que o cidadão Dr. Mangabeira anda dizendo em alguns bairros que visita com suas palestras educativas, bem diferenciadas das promessas, batucadas e cervejadas   que o povo estava acostumado a presenciar. E tem “jornalistas” baixando o pau nesse Cidadão, dizendo que não sabe fazer política. Lamentável.

Por isso tudo é que se conclui ser o Dr. Mangabeira a opção melhor para o futuro de Itabuna, pois leva em sua bagagem um histórico exemplar de bom caráter, empreendedor de sucesso, estando sempre compromissado com a sua comunidade. A sua integridade o faz merecedor de todo respeito, pois anda sozinho e não mal acompanhado, como quer alguns blogueiros: na lata do lixo.

Adalberto Santos

3 comentários:

Pauliane disse...

Prezados,

gostaria de entrar em contato com o responsável pelo blog. Grata desde já!

Neto dos Santos disse...

Pauliane,pelo visto nao gostou do texto, apesar de que tudo ali nao passa de uma realidade. Nao et mesmo?

Neto dos Santos disse...

Pauliane,pelo visto nao gostou do texto, apesar de que tudo ali nao passa de uma realidade. Nao et mesmo?